Parque Nacional Tayrona: um dia e a vontade de passar a noite


{Arrecifes: que vontade de ficar aqui}

No último dia do ano, 31 de dezembro, também último dia baseado em Taganga, resolvemos ir ao lado leste e mais interessante do Parque Tayrona.

A logística era tranquila. Acertamos tudo no albergue dos nossos amigos, o simpático Divanga. Uma van nos pegaria no hotel e  levaria até a entrada do parque, a uma hora de estrada. De lá encararíamos uma trilha de 45 minutos até Arrecifes,  a praia mais ban-ban-ban. Ida e volta de van custava 30 mil pesos por pessoa (uns 30 reais). E a taxa de preservação do parque, mais 34 mil pesos (para colombianos era bem mais barato, uns 12 mil, acho).

Da portaria em diante, felizes em encontrar a floresta verdinha depois de tanta vegetação árida, íamos a pé. Eu fui esperando uma trilha fechadona no meio do mato. Fui de havaianas mas com o tênis na mochila, para garantir. Ainda tinha lido no meu Lonely Planet que rolava muita cobra no parque, e que se você fosse picado, não era pra deixar ninguém te levar a Santa Marta — muito longe, enquanto a própria administração do parque tinha soro antiofídico, embora pouca gente saiba. Por via das dúvidas, nem comentei o fato com o povo, pra não ter desistência.😉

Chegando lá, a trilha era um sossego. Quase uma estrada de terra aberta no meio da floresta. Bom, de terra é bondade minha, na verdade era uma estrada de lama e estrume. Como o jeito mais barato de chegar nas praias daquelas bandas era pela trilha (de barco, se a gente viesse de Taganga, daria uns 100 reais pra cada um), jumentos e cavalos eram usados como carregadores de tudo – de água para o boteco da praia às malas da galera que ia se hospedar dentro do parque. E também do povo que tinha preguiça de fazer a trilha.


{Taí o motivo de tanto cocô no meio da lama… argh!}

O trajeto era leve, mas o cheiro de estrume era um horror. Para ajudar a aguentar firme, plaquinhas no meio do caminho atestavam sua evolução:

A chegada era triunfal. Um imenso gramado com coqueiros altíssimos, um restaurante bonitinho, e uma praia extensa, mas de paisagem nada monótona: um mar bravíssimo, areia fofa, uns pedrões no meio dela, ilhotas no mar, uma lagoa, coqueirais. Demais.

O chato era não poder nadar. O mar era tão bravo – o nosso motorista da van já tinha advertido – que 200 pessoas já tinha se afogado lá. Quando tentamos entrar só até a coxa, para dar uma refrescada do calor de matar, um guarda-parque veio apitando e nos botando pra fora d’água. Bem que a plaquinha tinha avisado:

  

Não só a paisagem era linda, como o clima da praia era delicioso. Pouca gente, uns burricos passando com as bagagens, um camping simpático, dava muita vontade de ficar ali. Foi inevitável a ponta de arrependimento por ter escolhido Taganga como base. Mesmo que ali fosse isoladaço, com certeza sem balada de Reveillon e sem opção de restaurante de noite, o lugar era um paraíso.

O impedimento de mergulhar nem era grave. Caminhando para o lado esquerdo, logo se chegava a uma  praiota, chamada Piscinas, onde dava pra cair na água. É claro que meu marido já foi achando que dava pra mergulhar logo na lagoa de Arrecifes, que parecia tão calminha.

E já ia caminhando para a lagoa, ao lado dos burricos. Só deu meia volta por causa da minha insistência. Não era muito estranho não ter nem uma criatura humana ali dentro, mesmo com aquele calorão? Devia ter algum motivo muito bom pra isso, não? 

Tinha mesmo. Caymanes. (Jacarés. Rá).

Dali fomos andando pra Piscinas. Azar, naquele dia ela também estava proibida para banho. O vento e o mar estavam impossíveis.

Comemos uma arepa sensacional numa barraquinha entre uma praia e outra.

Mais 30 minutos de caminhada por uma trilhinha quase à beira mar e chegamos em Cabo San Juan del Guia, a base mais movimentada para quem vai ao lado leste de Tayrona. Há alguns restaurantes simples, cabanas e campings.

A praia era linda e boa pra mergulhar. Um pouco mais cheia que as outras, mas ótima.

Ótima pra perder a hora também. Na empolgação, acabamos calculando mal o tempo da trilha de volta. Tínhamos que estar na entrada do parque para pegar a van às 15h. Cedo, porque ainda queríamos dar uma dormida aquele dia pra estar novos pra virada. Não nos demos conta de que a volta iria demorar quase 1h30, saindo de Cabo. Ainda paramos no meio do caminho pra fotografar os macaquinhos tití.


{A foto da placa saiu melhor que a do bicho}

Conclusão: fizemos a trilha de volta quase correndo, desviando dos burricos e cavalos que atravancavam o caminho, e mesmo assim chegamos uns 40 minutos atrasados na van. Ainda bem que aqui não era a Suíça. O motorista não só não ficou puto com a gente, como ainda pediu aos guardas da portaria que avisassem de seu atraso para a  pobre menina que ele tinha que buscar ali dali a uma hora. (Duvido que tenham avisado, convenhamos).

Viva a Colômbia, viva o último dia do ano. 2010 estava chegando, e a gente com o pé direito a postos.

***

Mais da série Colômbia:
Playa Brava: o paraíso
Taganga: o que essa vila É
Taganga: o que a vila NÃO é
Colômbia: a la orden (resumo da viagem)

Tags: ,

25 Respostas to “Parque Nacional Tayrona: um dia e a vontade de passar a noite”

  1. Deise Says:

    Parabéns pelo blog e pelas fotos! Adorei!

  2. Guta Says:

    Claudia devo dizer q adorei esse post! Principalmente por esse destino ai: Colombia e Parque Tayrona! Ouvi falar do lugar só no ano passado e desde lá ele entrou na minha lista de lugares p/ conhecer! A unica decepção até agora foi saber que não dá p/ entrar no mar ai! Praia sem poder entrar no mar, p/ mim, parece ser um pouco estranho, mas como vc falou tem opções! A coisa que eu queria perguntar é: estando no parque, vc recomenda se hospedar dentro dele, ou ficar em alguma praia/cidade próxima p aproveitar o mar e só passar o dia la dentro?
    bjus

    • Claudia Carmello Says:

      Oi Guta, obrigada! Depende do que você espera da viagem. Eu fiquei com muita vontade de me hospedar dentro do parque e aproveitar mais intensamente as praias, as trilhas, e me contentar com o que há de opção pra comer e ficar lá dentro. Mas se voccê é uma pessoa mais agitada, que quer sair pra comer e beber cada dia em um lugar diferente, que gosta de balada e de mais estrutura, por exemplo, então recomendo se hospedar em Taganga e fazer bate-voltas às praias do parque diariamente. Lembrando que Taganga não é uma vila especialmente charmosa, ela é mais funcional mesmo. Ao contrário, ficar dentro do parque já tem mais charme, mas bem menos estrutura. É a escolha que você tem que fazer. Um abraço!

  3. Carmen Says:

    Espectacular lugar é os Arrecifes. Gostei do post! Vou anotar em minha grande listinha…
    Parabéns pelas fotos são lindas!!!

  4. Carol Wieser Says:

    Claudia,

    O espírito do lugar é bem aventureiro, uma peninha mesmo de o mar ser tão bravo. Mas pela jeito, só pelo lugar já vale a pena.

    Gostei!

  5. Fê Costta - viaggio mondo Says:

    Claudia, que lugar lindo!! Pena mesmo não ter podido entrar no mar… Isso me lembrou a foz do rio São Francisco em Piaçabuçu, na divisa de Alagoas com Sergipe. O lugar era lindo e o tempo estava sensacional!! A água tinha uma temperatura perfeita, mas estava agitadíssima!! Entramos só mesmo para ver qual é, por que estava super perigoso e nem havia tantos cuidados assim com o turista…

    Ótimas fotos!

    Bjs

  6. Marco Says:

    Clau, aposentou?! Parou de viajar? Ou só trabalhando muito?…
    beijo!

  7. Eliane Lordello Says:

    Eu também ia querer passar a noite ali, Claudia!

    E, assim como o seu marido, eu ia querer me atirar na lagoa. Sou louca por água, acho a maior frustração quando um rio, uma lagoa, um lago ou o mar são proibidos para banho.

    Por outro lado, que pena dá ver esses burricos, sobrecarregados, muito peso.

    Por fim, meu pedido: Escreve mais sobre a comida de lá?

    Boa noite, beijo.
    Eli

  8. Eliane Leite Ninho Says:

    Ô CARAMELO,

    Afinal, quando é que você vai voltar para o seu blog? O seu público espera inquieto!

    De qualquer forma, um beijo!
    Eliane Leite Ninho

  9. bcfbravo Says:

    Muito bom o seu blog. Estou seguindo e aguardando as novidades das proximas viagens…
    Sugiro que já adiante pros seus seguidores a próxima aventura…

    Um abraço e boas postagens

    Bruno

  10. Eliane Says:

    Ah, Caramelo, muito chato esse negócio de você não escrever neste blog. Aparece aí, vai…
    Um beijo, mesmo assim.
    Eliane Leite Ninho, hoje muito chateada com você.

  11. Julia Says:

    Oi, Clau. Aposentou de vez? Estamos do outro lado ansiosos por pots seus!
    Um beijo.

  12. Bonito Says:

    Olá!

    Meu nome é Barbara e gostaria de saber se podemos trocar links. Haveria essa possibilidade? Temos sites e blogs como este e o site http://www.viagembrasil.tur.br.

    Aguardo seu contato!
    Obrigado

  13. Eliane Leitora Says:

    Caramelo dos céus, será possível que você ainda não tenha voltado a escrever neste blog?

    Afinal, quando terminará esta greve de textos que você está impondo aos seus leitores?

    É sério, Caramelo, eu já estou síndrome de abstinência dos seus posts.

    Escreva, pessoa torturante, escreva!!

    Mesmo zangada por sua ausência deste blog, mando o meu abraço para você, sua sumida.
    Eliane.

  14. Decolar.com Says:

    OI Claudia!

    Estamos lançando um blog de viagens e junto com ele a promoção DECOLE COM SEU BLOG.

    Selecionamos 30 blogs interessantes de turismo para convidar a participar e encontramos o seu.

    Escreva um post sobre uma de suas viagens, nos envie e avise a seus amigos para acessarem nosso blog e votarem. A nota mais votada ganhará uma viagem!!!

    Você se garante? Então convide outros bloggers como você para participar da promoção.

    Você não é o único! Siga-nos em http://www.twitter.com/blogdecolar e em Facebook e conheça as regras (as regras começarão a ser postadas dias 29/09/10).

    Deixamos este comunicado como comentário por não ter encontrado o seu endereço de email. ; )

  15. Izabela Says:

    Oi Cláudia,

    incrível seu blog, fiquei sabendo através da Bons Fluidos desse mês.
    Muito, muito bom.
    Parabéns!
    Já estou lendo as matérias antigas e me deliciando! rs

    Vou estar passando sempre agora.
    Gosto muito da sua maneira de “como viajar”.

    Muito legal.
    Sucesso.

  16. Cristiane Says:

    Claudia,
    Adorei seu blog. Parabéns!!!
    Vou ler com mais calma e pegar todas as dicas de Colômbia.

    Beijoos

  17. tripr3 Says:

    Gostei muito do seu blog!
    Oi! Vi que o seu blog também fala sobre viagens, turismo e achei super interessante! Gostaria de te convidar para conhecer o nosso blog, o Trip R3 (www.tripr3.wordpress.com) e se gostar, nos adicionar no seu blogroll. Aliás, já tomei a liberdade de adicionar o seu blog em nossa lista😉
    Abraços,
    Sol.

  18. FalaTurista Says:

    viagem incrível e lindas fotos!
    conhecer novos lugares é muito bom!

  19. Turismólogo de plantão Says:

    Bom dia

    Sou jornalista e escrevo para alguns blogs de turismo. Encontrei seu Blog na internet e adorei o conteúdo. Gostaria de sugerir uma troca de links entre eles. Aguardo seu retorno. Meu e-mail é: jornalismo@bonitoweb.com.br

    Abraços
    Carla

  20. Haroldo Castro Says:

    Oi Claudia,

    Parabéns pelo blog. Cai nele quando fazia uma busca sobre Stone Town e Zanzibar. Estive lá, produzindo reportagens em fevereiro de 2010, logo depois de sua passagem. Precisamos trocar figurinhas um dia desses. Estou no Brasil ate julho, qdo vou para a Mnongolia. E vc, já voltou da Colombia?

    abraços, Haroldo (castroharoldo@hotmail.com)

  21. Pequenas anotações de viagens virtuais 52: educativas - Uma Malla Pelo Mundo Says:

    […] A Claudia Carmello fez uma viagem para a Colômbia, e ficou na vila de Taganga, para visitar o Parque Nacional Natural de Tayrona. Realçou os pontos positivos e negativos da vila e de quebra, ainda revelou uma praia para […]

  22. Eliane Lordello Says:

    Feliz 2013, Claudia!
    Tomara que este ano você volte a escrever no blog. Adoro os seus textos.
    Um beijo!

  23. Dan Says:

    Parabéns! Gostei muito do seu blog.

    Temos um blog com relatos de viagens também e gostaríamos de convidar para dar uma “viajada” por lá… é Muita Viagem! =)

    Muita Viagem – blog com relato de viagens

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: